Sidónio Muralha – O Homem dos Balões

No Jardim da Estrela, quando estrelas havia
E sonhos nos alçapões,
Havia um espantalho carregado de poesia,
Havia o homem dos balões.

Ele vendia a alegria, vendia
A confiança no sorriso breve
De cada balão que subia
Colorido e leve.

No Jardim da Estrela, quando estrelas havia,
Havia a ternura, havia o afago
Do homem que vendia
Balões à beira do lago.

E a vida dançava, a vida corria
Nas translúcidas canções
Dos garotos que bebiam a poesia
E que compravam os balões
(…)

Sidónio Muralha

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: