José de Oliveira Cosme – As Lições do Tonecas – Notações Sintácticas

“(…)
Professor – Silêncio!… Ora hoje vamos tratar das notações sintácticas, isto é, dos sinais que servem para auxiliar a leitura e a compreensão de escrita. (…)
Temos, em primeiro lugar, o ponto. O menino sabe para que serve o ponto?

Tonecas – Sei, sim senhor: é para dizer baixinho aos actores aquilo que eles tinham a obrigação de saber de cor!

Professor – Isso é no teatro. Estamos a tratar de Gramática. Ora preste atenção O ponto serve para indicar o fim duma frase perfeita, com inflexão de voz que denota pausa absoluta. Por exemplo: O menino é burro. Ponto.

Tonecas – Perdão, perdão!… Eu sou burro? Vírgula!…

Professor – Então, se quer que tenha vírgula, obriga-me a prosseguir: … é burro, teimoso e cábula! (…)
A seguir, temos o ponto e vírgula; depois, os dois pontos. Logo depois, o ponto de interrogação…(…)
Ora depois do ponto de interrogação, temos o ponto de…

Tonecas – O ponto de… de…

Professor – (…) O ponto de admiração!

Tonecas – Ahhhhhhhhhhhhl

Professor – Ora aí está! Ponto de admiração ou exclamação! Logo a seguir, temos os pontos de…

Tonecas – O quê? Mais pontos?… O senhores! Isto não é uma aula, é uma oficina de alfaiate!

Professor – Caluda, menino! Eu vou exemplificar, para ver se consigo que responda, com jeito, ao menos a uma pergunta. Suponhamos que o seu pai lhe oferece uma bicicleta.

Tonecas – Isso é que era bom! Mas tomara ele dinheiro para mandar pôr meias-solas nestes sapatos…

Professor – Com isso não tenho absolutamente nada! Trata-se apenas dum exemplo. Admitamos, portanto, que o seu pai lhe oferece uma bicicleta. Mas como conhece o seu feitio leviano e precipitado, faz-lhe a seguinte recomendação:

– Aqui tens esta bicicleta. Anda nela com cuidado, porque se caíres…

E não lhe diz mais nada! Portanto, substituiu o resto da frase por pontos… Se caíres… Que pontos tem aqui o menino?

Tonecas – Já sei. Se cair… tenho pontos naturais!…

Professor – Não, menino! Tem pontos de reticência!

Tonecas – Ah, é verdade! E isso, é! …

Professor – E, mas não disse! Os pontos de reticência são uma das notações sin¬tácticas mais interessantes. Empregam-se muito vulgarmente na cita¬ção de provérbios. Ora experimente completar os que eu vou dizer. Verá que é engraçado. Por exemplo: Quem o feio ….

Tonecas – … bonito lhe parece!

Professor – Exactamente! (…) Vê como é interessante?

Tonecas – (Rindo) Muito interessante! Agora digo eu, sim? E o senhor professor completa…

Professor – Pois sim… Já que faz tanto empenho…

Tonecas – Então lá vai: – Quem muito se abaixa… Então? Não completa? Professor – Não conheço esse provérbio, menino!

Tonecas – Pois é fácil! … Quer que eu diga? (…) Quem muito se abaixa, sobe-lhe o sangue à cabeça!… (Ri) Não conhecia?…

Professor– Não. Mas acho-o muito certo! (…)”

José de Oliveira Cosme

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: