Archive for Abril, 2010

As Dúvidas do Zé-Concertina – Saber e Fazer
Abril 15, 2010

Conversa entre o  Zé-Concertina as Vogais e outras mais…

– Boa noite, Menina S! Como está? E as outras vogais e coisas mais?

– Boa noite, Sr. Zé-Concertina! Estou bem, e as outras vogais e coisas mais também, obrigada! Pareceu-me ouvi-lo a conjugar os verbos saber e fazer.

– E ouviu mesmo, Menina! Ainda bem que a encontrei, porque vinha para aqui a tentar perceber qual é a frase correcta:

– Sou uma pessoa que sei o que faço.
Ou
– Sou uma pessoa que sabe o que faz.

– Ó Sr. Zé-Concertina, se sabe aquilo que faz, qual é a frase certa?

– Muito fácil Menina S. Cá o Zé-Concertina não falha. Ora veja! Sou uma pessoa que sabe o que faz.

– Muito bem, Sr. Zé-Concertina!

Anúncios

Maria Teresa Horta – Voar
Abril 15, 2010

“Deixa-me voar
por cima do teu
colo

até ir poisar
na tua alma

HORTA, Maria Teresa, Antologia Poética

Maria Teresa Horta (Lisboa, 20/5/1937)
Poetisa, colaboradora de diversos jornais e revistas, pertenceu ao grupo Poesia 61 e aos movimentos cineclubista e feminista.

Alexandre O´ Neill – O Destino
Abril 15, 2010

“Acaso o nosso destino, tac!, vai mudar?”

Alexandre O´Neill (Lisboa, 19/12/1924 – Lisboa, 21/8/1986)
Poeta, cronista e tradutor, fundador do Movimento Surrealista de Lisboa com Mário Cesariny, José Augusto França e António Pedro.

Agostinho da Silva – Acordando
Abril 15, 2010

Tímida folha acordando
e vagos passos de inverno
se retirando.

Agostinho da Silva (Porto,13/2/1906 – Lisboa, 3/4/1994)
Filósofo, poeta, ensaísta, professor, licenciado em Filologia Clássica (1929), doutorado com louvor (1929), colaborador da Revista Seara Nova, fundador do Núcleo Pedagógico Antero de Quental (1939), co-fundador de universidades no Brasil, criador de Centros de Estudos.

Cecília Meireles – Aprender
Abril 15, 2010

“Cada dia aprendemos alguma coisa. Cada dia aprendemos alguma coisa com as crianças, se as soubermos observar, amar e compreender.”

MEIRELES, Cecília, Crônicas de Educação

Cecília Meireles (Rio de Janeiro, 7/11/1901 – Rio de Janeiro, 9/11/1964)
Poetisa, professora e jornalista, fundadora da 1.ª Biblioteca Infantil do Rio de Janeiro.

Gentílicos ou Pátrios de: Paços de Ferreira, Penafiel, Peniche, Pico e Ponta Delgada(continuação)
Abril 11, 2010

Gentílicos ou Pátrios são nomes que indicam: nacionalidade, origem ou lugar de nascimento, residência de alguém ou proveniência de alguma coisa.
Eis alguns, nacionais:

Paços de Ferreira —————pacense

Penafiel —————————–penafidelense

Peniche —————————–penicheiro, penichense

Pico ———————————-picuense

Ponta Delgada ——————ponta-delgadense, micaelense

(continua)

Padre António Vieira – O Sal da Terra
Abril 11, 2010

“Vos estis sal terrae

Vós, diz Cristo, senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra; e chama-lhe sal da terra, porque quer que façam na terra o que faz o sal.

O efeito do sal é impedir a corrupção, mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser a causa desta corrupção?

Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar.

Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina, ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes, sendo verdadeira a doutrina que lhe dão, a não querem receber.

Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma coisa e fazem outra, ou porque a terra não se deixa salgar, e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem que fazer o que dizem.

Ou é porque o sal não salga, e os pregadores se pregam a si e não a Cristo, ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes, em vez de servir a Cristo, servem os seus apetites.

Não é tudo isto verdade? Ainda mal.”

VIEIRA, Padre António, Sermões

Padre António Vieira (Lisboa, 6/2/1608 – Bahia, 18/7/1697)
(“Paiaçu”)
Religioso, Prosador e pensador, orador do séc. XVII.

Miguel Torga – Comunicado
Abril 11, 2010

Na fente ocidental nada de novo.
O povo continua a resistir
Sem ninguém que lhe valha,
Geme e trabalha.
Até cair.

Miguel Torga (São Martinho de Anta, Vila Real, 12/8/1907 – Coimbra, 17/1/1995)
Pseudónimo de Adolfo Correia Rocha.
Um dos mais importantes escritores portugueses do século XX, galardoado com Prémio Camões em 1989, médico.

Francisco Rodrigues Lobo – Écloga I
Abril 11, 2010

Dizem que já noutra idade
falaram os animais,
e eu creio que por sinais
inda hoje falam verdade.

Ouvi contar como então
se fez valente e temido
um vil jumento, escondido
nos despojos de um leão.

Enquanto de longe o viam
os outros fugiam dele:
eram milagres da pele
do rei, a que eles temiam.

Quis falar, buscou seus danos,
que os outros, com raiva crua,
fazem pagar pela sua
da outra pele os enganos.

Quantos há, na nossa aldeia,
leões e lobos fingidos,
que houveram de andar despidos,
se não fora a pele alheia!

LOBO, Francisco Rodrigues, Éclogas, I

Francisco Rodrigues Lobo (Leiria, 1580 – 4/11/1620)
Poeta e prosador, considerado discípulo de Camões e o iniciador do Barroco em Portugal, licenciado em Direito.

Eça de Queirós – Comprometer-se
Abril 11, 2010

“Comprometer-se quer simplesmente dizer: que os ministros nos demitam dos nossos empregos, que os centros políticos nos expulsem, que os partidos nos reneguem…”

QUEIRÓS, Eça de, Uma Campanha Alegre

Eça de Queirós (Póvoa do Varzim, 25/11/1845 – Paris, 16/8/1900)
Diplomata e escritor, considerado o melhor escritor realista português do séc. XIX.