Archive for Julho, 2010

Bento de Jesus Caraça – O Erro
Julho 30, 2010

“Se não receio o erro, é só porque estou sempre pronto a corrigi-lo.”

Bento de Jesus Caraça (Vila Viçosa, 18/4/1901 — Lisboa, 25/6/1948)
Matemático, professor catedrático no ISEG e resistente antifascista, licenciado em Ciências Económicas e Financeiras.
Co-fundador do Núcleo de Matemática, Física e Química, e Centro de Estudos de Matemáticas Aplicadas à Economia e  ainda da Gazeta de Matemática.
Criador da “Biblioteca Cosmos”, destinada à edição de livros de divulgação científica e cultural – publicou 114 livros com uma tiragem total de 793 500 exemplares.
Colaborador nas revistas: Técnica, Gazeta da Matemática, Seara Nova, Vértice e Revista de Economia.
Presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática.

Anúncios

Tomaz Kim – A Afirmação do EU
Julho 30, 2010

Tomaz Kim

” Pensar, sentir e querer, um triângulo da Vida. A clara afirmação de uma vontade do EU, sujeito e lugar.”

Tomaz Kim (Lobito, 2/2/1915 – Lisboa, 24/1/1967)
Pseudónimo de: Joaquim Fernandes Tomaz Monteiro-Grillo.
Poeta, tradutor e ensaísta, colaborador em diversos periódicos, licenciado em Filologia Germânica.
Fundou e dirigiu os Cadernos de Poesia com Ruy Cinatti e José Blanc de Portugal.

Latino Coelho – A Arte da Palavra
Julho 30, 2010

“De todas as artes, a mais bela, a mais expressiva, a mais difícil é, sem dúvida, arte da palavra.”

José Maria Latino Coelho (Lisboa, 29/11/1825 — Sintra, 29/8/1891).
Escritor, jornalista, militar e político, licenciado em Engenharia Militar.

Helena Marques – A Evolução das Sociedades
Julho 29, 2010

” As sociedades só evoluirão no sentido da paz, da solidariedade e do desenvolvimento integrado quando homens e mulheres assumirem juntos o poder, no mútuo respeito pelos indispensáveis contributos das suas diferentes capacidades, perspectivas e sensibilidades.”

Helena Marques (Lisboa, 17/5/1935)
Romancista e jornalista.

Literatura Africana de Expressão Portuguesa, Angola – Manuel Rui – Quem me dera ser onda
Julho 29, 2010

” Cá em baixo os meninos confiavam na força da esperança para salvar “Carnaval da Vitória”. E Ruca, cheio daquela fúria linda que as vagas da Chicala pintam sempre na calma do mar, repetia a frase de Beto:
– Quem me dera ser onda!”

Manuel Rui (Nova Lisboa, Angola, 1941)
Poeta, cronista, crítico, ensaísta, professor de literatura, colaborador em jornais, revistas e programas de rádio e cinema, advogado,  fundador e membro da União dos Artistas e Compositores Angolanos, da Sociedade de Autores Angolanos e da União de Escritores Angolanos.

António Alçada Baptista – Línguas Vivas
Julho 29, 2010

“Para mim, as línguas, para se manterem vivas, têm de ser corrompidas e, por outro lado, perante uma realidade nova, temos de puxar pela cabeça e encontrar uma palavra que a exprima.”

BAPTISTA, António Alçada, in a Pesca à Linha – Algumas Memórias

António Alçada Baptista (Covilhã, 29/1/1927 – Lisboa, 7/12/2008)
Romancista,ensaísta e cronista, advogado, desenvolveu actividades ligadas ao jornalismo e à edição.

Guilherme Ismael – Calar
Julho 29, 2010

calar o que o tempo antes de tempo
nos quis dizer, em dias de calma
depois da chuva ouve-se o ribeiro

arrastar os segredos que cala
às próprias árvores caídas
que lhe sustentam o curso.

assim se move o pensamento à volta
da mesma ideia sem nunca dela
se apartar ou nunca nela dar entrada.

Guilherme Ismael (Moçambique, 1950 – 4/12/1994)
Poeta, jornalista e cultor de actividades cinematográficas.

Gentílicos ou Pátrios de: Sesimbra, Setúbal, Silves, Sines e Sintra (continuação)
Julho 26, 2010

Gentílicos ou pátrios são nomes que indicam: nacionalidade, origem ou lugar de nascimento, residência de alguém ou proveniência de alguma coisa.

Eis alguns, nacionais:

Sesimbra—– sesimbrense, sesimbrão

Setúbal ——- setubalense, sadino

Silves ——— silvense

Sines ——— siniense

Sintra ——– sintrense, sintrão.

(continuação)

António Sérgio – Carta para Gilberto Freyre
Julho 26, 2010

“S./C.: Travessa do MOinho de Vento à Lapa, 4
Lisboa, 12-XII-55

Querido Gilberto

Agradeço-lhe o ensejo que me proporcionou de conhecer o seu amigo Joel Pontes, com quem muito simpatizei e com quem tive excelentes horas de paleio.

Escrevi-lhe a transmitir um pedido do editor e dos directores da “Enciclopédia Portuguesa e Brasileira” o de consentir que incluam o seu nome numa Comissão de Honra para a parte brasileira (que estão preparando), Comissão para a qual tencionam convidar alguns dos seus mais ilustres compatriotas, e, entre os portugueses, o almirante Gago Coutinho, que é luso-brasileiro para todos nós. Rogam-lhe também o obséquio de lhes dar os seus conselhos e a colaboração.

Um gratíssimo abraço do seu muito amigo e muito admirador

António Sérgio”

António Sérgio (Damão, 3/9/1883 – Lisboa, 24/1/1969)
Intelectual e pensador.

Gilberto Freyre – Conversar com Deus
Julho 26, 2010

” Aprendi, de minha curta aventura Protestante, a conversar com Deus e com Cristo e, fora do Protestantismo e conservando-me Católico em ponto essenciais, com Maria, mãe de Deus, em voz de conversa e em improvisos os mais espontâneos.

Deixei de rezar repetindo rezas tradicionais. E usando palavras de minha própria escolha. Palavras de cristão em conversa, a mais íntima, com Deus.”

Gilberto Freyre (Recife, 15/3/1900 – Recife, 18/7/1987)
Novelista, ensaísta, poeta, sociólogo e antropólogo.