Maria Assunção Vilhena – Sines, A Praia do Norte

“Praia larga e comprida a perder de vista, onde o Atlântico é geralmente encapelado, era uma atracção para moços e moças, não pelo banho que lá não se podia tomar, mas pelo aspecto magestoso e medonho ao mesmo tempo. Ainda se ia longe e já o ruído das ondas alterosas, rebentando com estrondo, anunciavam o destino almejado. (…)
Tudo nos servia para darmos largas à nossa imaginação criadora: com canas, bocados de madeira e de cortiça que a maré arrastava para a praia, fazíamos cabanas que eram as nossas casas.

Se, no decorrer da semana, não passavam por lá outras crianças, no domingo seguinte, ficávamos felizes por ainda as encontrarmos de pé. (…)”

VILHENA, Maria Assunção, Gente do Monte

Maria Assunção Vilhena (Santiago de Cacém, 1925)
Concluiu o Curso de Professora do Ensino Primário em 1948, posteriormente licenciou-se em Filologia Românica e leccionou Francês na sua terra natal.
Dedicou-se ao estudo da Etnologia da Beira-Baixa e editou obras neste âmbito.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: