Archive for Março, 2013

Manuel António Pina – Voz
Março 28, 2013

 Manuel António Pina by lusografias

“Voz dele, voz nossa?
Nossa porque dele.”

Manuel António Pina (Sabugal, 18/11/1943 – Porto, 19/10/2012)
Poeta, autor de literatura infanto-juvenil, dramaturgo, ficcionista, jornalista, licenciado em Direito.
Galardoado com o Prémio Camões em 2011.

Anúncios

Manuel Alegre – O Ritmo da Nossa Língua
Março 28, 2013

Manuel Alegre by lusografias

“(…) cresci a ouvir o marulhar do Atlântico onde nasceram os ritmos e os decassílabos de Camões.

Creio que toda a nossa língua está marcada por este ritmo. Nas suas harmonias e nas suas dissonâncias, nas suas vogais azuis e verdes e nas suas consoantes sibilantes. Tem a cor do mar e o assobio do vento Oeste.”

Manuel Alegre (Águeda, 12/5/1936)
Poeta, prosador e político português.

Carlos de Oliveira – Arboricídio
Março 26, 2013

Carlos de Oliveira by lusografias

“O arboricídio floresce (se me permitem a expressão). Algures, em misteriosos gabinetes.”

OLIVEIRA, Carlos de, O Aprendiz de Feiticeiro

Carlos de Oliveira (Belém do Pará, Brasil, 10/8/1921 – Lisboa, 1/7/1981)
Poeta, romancista, cronista, co-autor de Contos Tradicionais Portugueses com José Gomes Ferreira, 1953, colaborador nas revistas Seara Nova e Vértice, licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas.

João de Barros – O Bom Costume e o Vocábulo
Março 26, 2013

“(…)… Mais pode durar um bom costume e vocábulo que um padrão… (…)”

 

João de Barros (Viseu, 1496 – Pombal, 20/10/1570)

Historiador, autor de A Grammatica, 1536

.

Dificuldades da Língua Portuguesa – Saníssimo e Velocíssimo
Março 24, 2013

Vogais by lusografias

Saníssimo – superlativo absoluto sintético do adjetivo são, forma erudita proveniente do étimo latino do adjetivo sanus.

Formação:
Os adjetivos terminados em ão forman o superlativo a partir da terminação n.

Velocíssimo – superlativo absoluto sintético do adjetivo veloz, forma erudita proveniente do étimo latino do adjetivo velocis.

Formação:
Os adjetivos terminados em z formam o superlativo a partir da terminação c.

Carlos Reis – Bem Falar e Bem Escrever
Março 24, 2013

Carlos Reis by lusografias

“(…) bem falar e bem escrever são provas de respeito pelo nosso património (a língua é um bem patrimonial) e de afirmação de bom gosto. (…)”

Carlos Reis (Angra do Heroísmo, 28 /09/1950)
Ensaísta, colaborador de jornais e revistas, professor universitário, especialista em literatura portuguesa.

Óscar Lopes – Alocução na Entrega do Prémio Jacinto do Prado Coelho, Breves Excertos
Março 22, 2013

Óscar Lopes by lusografias

“Antes de me ter sido atribuído este Prémio Jacinto do Prado Coelho, da Associação dos Críticos Literários Portugueses, confesso nunca me ter ocorrido que isso viesse a dar-se. Porquê? Talvez porque tenho dificuldade em me ver como crítico ou ensaísta porque tenho uma dificuldade, mais ainda, em simplesmente me ver.
(…)
Nunca me senti a fazer crítica: apenas se trata de obedecer a uns impulsos, sempre complicados e em conflito, no sentido de continuar de algum modo, os movimentos também conflituais de que um texto é feito, ou de que mais evidentemente participa.

Não faço linguística: trata-se apenas de, com a mais rigorosa metodologia disponível, reflectir sobre certos gestos do modo mais espontâneo modo de falar, gestos qu têm a ver com relações especiais do tempo, de atitude, e de referência da comunicação social possível.

Também não sou político por vocação: apenas nasci num povo em que a luta de classes só não será evidente para uma certa cegueira de espírito, e comungo de uma nação periodicamente renegada por classes dirigentes (…)

(…) o Prémio que me é atribuído tem o nome de um amigo meu de quase meio século, que todos perdemos há poucos meses, um amigo a quem inclusivamente devo, como a Vitorino Nemésio, o parecer que me fez professor universitário. (…)”

Maio de 1985

LOPES, Óscar, Cifras do Tempo

Óscar Lopes (Leça da Palmeira, 2/10/1917 – Porto, 22/03/2013)
Ensaísta, crítico literário, especialista em Linguística e Literatura, colaborador em diversos jornais e revistas, professor liceal e catedrático, licenciado em Filologia Românica e Histórico-Filosóficas.

Sebastião da Gama – Madrigal
Março 21, 2013

Sebastião da Gama by lusografias

A minha história é simples.
A tua, meu Amor,
é bem mais simples ainda:

“Era uma vez uma flor.
Nasceu à beira de um Poeta…”

Vês como é simples e linda?

(O resto conto depois;
mas tão a sós, tão de manso
que só escutemos os dois).

Sebastião da Gama (Vila Nova de Azeitão, Setúbal, 10/4/1924 – Lisboa, 7/2/1952)
Poeta e professor de Português, colaborador das Revistas: Árvore e Távola Redonda, fundador da Liga para a Protecção da Natureza (1948), licenciado em Filologia Românica.

Eugénio de Andrade – Eros
Março 21, 2013

Eugénio de Andrade

Nunca o verão se demorara

assim nos lábios

e na água

– como podóamos morer,

tão próximos

e nus e inocentes?

ANDRADE, Eugénio, Antologia Breve

Eugénio de Andrade (Póvoa de Atalaia, Fundão , 19/01/1923 – Porto, 13/06/2005)
Pseudónimo de José Fontinhas.
Poeta de renome internacional, tradutor, prosador, autor de literatura infantil, antologista, detentor de diversos prémios literários, nomeadamente o Prémio Camões em 2001.

 

Eugénio de Andrade – Entre Lábios
Março 21, 2013

Geninho by lusografias

Entre os teus lábios
é que a loucura acode,
desce à garganta,
invade a água.

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

Eugénio de Andrade (Póvoa de Atalaia, Fundão , 19/01/1923 – Porto, 13/06/2005)
Pseudónimo de José Fontinhas.
Poeta de renome internacional, tradutor, prosador, autor de literatura infantil, antologista, detentor de diversos prémios literários, nomeadamente o Prémio Camões em 2001.