Archive for Maio, 2013

Julieta Monginho – Acreditar na História
Maio 28, 2013

Julieta  Monginho by lusografias

“Quando te estão a contar uma história o mínimo que deves fazer é acreditar.
Precisas de respeitar o narrador, desde que te anuncie que é uma história. Combinado?”

MONGINHO, Julieta, Metade Maior

Julieta Monginho (Lisboa, 1958)
Escritora e advogada.

Anúncios

Nélida Piñon – A Língua Amada
Maio 28, 2013

Nélida Piñon by lusografias

” Cada palavra que usei ao longo da existência traiu-me, enalteceu-me, deslumbrou-me como se fora Camões.”
(…)
É com esta língua amada que enfrento os nós da criação que pratico na calada da noite.

E me dou conta , altaneira e orgulhosa, que esta língua garante-me o ofício, fez de mim uma escritora.”

PIÑON, Nélia, Livro das Horas

Nélia Piñon (Rio de Janeiro, 03/05/1937)
Romancista, contista, cronista, ensaísta, autora de literatura infanto-juvenil, licenciada em Jornalismo, primeira mulher a ser eleita presidente da Academia Brasileira de Letras.

Vasco Pereira da Costa – Arte Poética
Maio 26, 2013

Vasco Pereira da Costa by lusografias

Tenta que o verso contenha apenas
as palavras do teu aparo (do teu apuro)
e dessas as mais úteis.

As que te digam inteiro
como casa do teu lume
como barco do teu leme
como campo do teu grão
como sonho do teu verbo.

E que tenham voz sopro e batimento
e se de terra acolham a charrua
e se de fogo incendeiem o silêncio
e se de água não sejam nuvem mas chuva.

COSTA, Vasco Pereira da Costa, Ilhíada – Antes e Depois

Vasco Pereira Costa (Angra do Heroísmo, 1948)
Contista, novelista, romancista, poeta, professor, pintor com o pseudónimo Manuel Policarpo, licenciado em Filologia Românica.

Nuno Camarneiro – O Caminho da Escrita
Maio 26, 2013

Nuno Camarneiro by lusografias

“Tive uma espécie de chamamento e a escrita passou a ter uma função utilitariana, fazer sentir-me melhor, dar um certo caminho aos meus dias.”

In JL 1102 de 26/12/2012

Nuno Camarneiro (Figueira da Foz, 1977)
Escritor, vencedor do Prémio Leya, 2012, licenciado em Engenharia Física, investigador da Universidade de Aveiro, doutorado em Ciência Aplicada ao Património Cultural.

Maria Alzira Seixo – A Narrativa de Viagens
Maio 26, 2013

Maria Alzira Seixo by lusografias

“A narrativa de viagens, tal como é conceptualmente designada corresponde a um modelo narrativo e hermenêutico específico, no qual justamente mundo e discurso se aliam pela primeira vez na História”.

Maria Alzira Seixo (Barreiro, 29/4/1941)
Ensaísta, crítica literária, professora catedrática.

Sá de Miranda – As Leis e os Costumes
Maio 26, 2013

Sá de Miranda by lusografias

” Não valem leis sem costumes,
Velem costumes sem leis.”

Francisco Sá de Miranda (Coimbra, 28/08/1481- Amares, 15/03/1558)
Poeta e dramaturgo, introduziu em Portugal: o soneto,  a canção, a sextina, as composições em tercetos e em oitavas e os versos de dez sílabas, bem como a comédia em prosa, colaborador do Cancioneiro Geral,”doutor em Leis”.

Fernando Lopes-Graça – Marchas, Danças e Canções – Prefácio da 1.ª Edição, 1946.
Maio 26, 2013

Fernando Lopes-Graça by lusografias

“ Dar ao nosso povo um pequeno repertório de canções e danças que correspondessem ao conteúdo atual da sua consciência e que ele pudesse bailar.”

Nota: Os poemas dos neorrealistas: Carlos de Oliveira, João José Cochofel, José Gomes Ferreira e Mário Dionísio, entre outros, subjacentes ao citado objetivo foram proibidos pela Censura e ouvidos após o 25 de Abril.

Fernando Lopes-Graça (Tomar,17/12/1906 — Parede, Cascais 27/11/1994)
Maestro e compositor, um dos maiores do século XX.

José Gomes Ferreira – Acordai!
Maio 25, 2013

José Gomes Ferreira by lusografias

“9 de novembro de 1968

O êxito de Pastoral levou o Fernando Lopes Graça a dar-me mais melodias para versificar – tarefa a que nunca me furtei por homenagem ao Compositor e pelo prazer de resolver problemas técnicos. Alguns, aliás, bastante bicudos como os de coral a que chamei Acordai! Todo em versos agudos. Nem uma rima grave ou esdrúxula para amostra!

Em resumo: com muito suor e paciência lá fabriquei a letra necessária para o Acordai! Que a Censura desta vez deixou passar na Seara Nova (…)

Nesses tempos, embora a nossa ingenuidade suscite espanto em alguns cínicos de agora, colaborar em canções com o Graça – e até ouvi-las – afigurava-se-nos primancial para o triunfo de certo estilo futuro de vida desejável.

Cantar – nos anos políticos da década de 40 – era uma religião. E o Fernando Lopes Graça, um Padre Mestre!”

FERREIRA, José Gomes, Dias Comuns VI: Memória Possível (excertos)

José Gomes Ferreira (Porto, 9/6/1900 – Lisboa, 1985)
Poeta, jornalista – colaborador da Presença e Seara Nova-, membro do Novo Cancioneiro, compositor musical, tradutor de filmes, Presidente da Associação Portuguesa de Escritores, licenciado em Direito, cônsul na Noruega, pai do arquitecto Raul H. Ferreira e do poeta Alexandre Vargas.

Alexandre O´ Neill – A Tua Árvore
Maio 25, 2013

Alexandre O´ Neill by lusografias

“Sê atrevido – e levanta, nem que seja só em imaginação, a tua própria árvore, nos sítios mais inesperados.

E principalmente que ela atravanque tudo, suspenda a lufa-lufa dos negócios, se oponha, escandalosa, aos frenéticos automobilistas e os obrigue a fazer grandes desvios, para não baterem nela e nela acabarem por apodrecer encaixotados, como pobres mortais que são.”

(1974, Dia Mundial da Árvore)

Alexandre O´Neill (Lisboa, 19/12/1924 – Lisboa, 21/8/1986)
Poeta, cronista e tradutor, fundador do Movimento Surrealista de Lisboa com Mário Cesariny, José Augusto França e António Pedro.

Fernando Pinto do Amaral – Voz
Maio 25, 2013

Fernando Pinto do Amaral by lusografias

Nada sabes. Saberás cada vez menos
o que ainda procuras
outro corpo uma alma
suspensa no abismo ou nada disso
apenas uma luz
apenas uma voz ou simplesmente palavras
à espera de outra voz que por acaso
seja de novo a tua.

AMARAL, Fernando Pinto, Paliativos

Fernando Pinto do Amaral (Lisboa, 12/5/1960)
Poeta, romancista e contista, doutorado em Literatura Românica, professor universitário.