Archive for Janeiro, 2014

Eugénio de Andrade – Metamorfoses da Casa
Janeiro 31, 2014

Geninho - caricatura by lusografias

Ergue-se aérea pedra a pedra
a casa que só tenho no poema.

A casa dorme, sonha no vento
a delícia súbita de ser mastro.

Como estremece um torso delicado,
assim a casa, assim um barco.
Uma gaivota passa e outra e outra,
a casa não resiste: também voa.

Ah, um dia a casa será bosque,
à sua sombra encontrarei a fonte
onde um rumor de água é só silêncio.

Eugénio de Andrade (Póvoa de Atalaia, Fundão , 19/01/1923 – Porto, 13/06/2005)
Pseudónimo de José Fontinhas.
Poeta de renome internacional, tradutor, prosador, autor de literatura infantil, antologista, detentor de diversos prémios literários, nomeadamente o Prémio Camões em 2001.

Al Berto – Há-de Flutuar uma Cidade
Janeiro 30, 2014

Al Berto by lusografias

há-de flutuar uma cidade no crepúscolo da vida
pensava eu… como seriam felizes as mulheres
à beira mar debruçadas para a luz caiada
remendando o pano das velas espiando o mar
e a longitude do amor embarcado

por vezes
uma gaivota pousava nas águas
outras era o sol que cegava
e um dardo de sangue alastrava pelo linho da noite
os dias lentíssimos… sem ninguém

e nunca me disseram o nome daquele oceano
esperei sentada à porta… dantes escrevia cartas
punha-me a olhar a risca de mar ao fundo da rua
assim envelheci… acreditando que algum homem ao passar
se espantasse com a minha solidão

(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

um dia houve
que nunca mais avistei cidades crepusculares
e os barcos deixaram de fazer escala à minha porta
inclino-me de novo para o pano deste século
recomeço a bordar ou a dormir
tanto faz
sempre tive dúvidas que alguma vez me visite a felicidade

Al Berto (Coimbra, 11/1/1948-Lisboa, 13/6/1997)
Pseudónimo de Alberto Raposo Pidwell Tavares
Poeta, pintor, editor, animador cultural, um “coimbrense-siniense” único.

António Lobo Antunes – Pois claro
Janeiro 30, 2014

António Lobo Antunes by lusografias

“Falo pouco. Falo pouco e cada vez menos. Em primeiro lugar porque me distraio e esqueço o assunto das conversas, e em segundo lugar porque as pessoas não esperam que lhes responda mas que as oiça, o que é fácil se acenar que sim de vez em quando e disser
– Pois claro
quando me olham de sobrancelhas levantadas, è espera de concordância e aplausos. Tornei-me um especialista do
– Pois claro
(…)”

ANTUNES, António Lobo, Crónicas, “A Minha Morte”

António Lobo Antunes (Lisboa, 1/9/1942)
Romancista e cronista, distinguido com o Prémio Camões em 2007,  médico especializado em Psiquiatria.

Patrícia Reis – A Escrita
Janeiro 28, 2014

Patrícia Reis

“Não escrevo todos os dias.

A escrita começa por ser um processo mental.

Vou pensando, investigando, acumulando dados e depois ponho mãos à obra.

Pode passar algum tempo até voltar ao texto.”

Un JL, 24  Setembro – 7 Outubro 2008

Patrícia Reis (Lisboa, 1970) Novelista, romancista, escritora de literatura infantil e infanto-juvenil, jornalista.

António Carlos Cortez – O Som do Poema
Janeiro 27, 2014

António Carlos Cortez by lusografias

Quando não esperas nada
o som concreto
do poema cresce e tu recebes
a lição de nada em tudo
e recomeças.

CORTEZ, António Carlos, Linha de Fogo

António Carlos Cortez (Lisboa, 1976)
Poeta, crítico literário, ensaísta, colaborador de diversas publicações, professor de Literatura Portuguesa e Português.

Luís Amorim de Sousa – O Sonho
Janeiro 27, 2014

Luís Amorim de Sousa by lusografias

“(…) E o sonho? Quanto mais arejado e aberto o horizonte, maior a capacidade de sonhar.

E os horizontes, por cá, mostram-se baixos. Baixos, sombrios e densos.

Maus para o sonho. (…)”

In JL, “Diário” de 12 a 25 de Junho de 2013

Luís Amorim de Sousa (Nova Lisboa, Angola, 1937)
Poeta e cronista, foi locutor, produtor e diretor da Secção Portuguesa na BBC, e Conselheiro de Imprensa na Embaixada de Portugal em Washington.

Herberto Helder – Servidões
Janeiro 27, 2014

Herberto Helder by lusografias

“dos trabalhos do mundo corrompida
que servidões carrega a minha vida”

Herberto Hélder (Funchal, 23/11/1930)
Poeta, ficcionista, jornalista, bibliotecário, tradutor, apresentaddor de programas de rádio e de televisão.

Padre António Vieira – Servir a Pátria
Janeiro 27, 2014

Padre António Vieira by lusografias

“Se serviste a Pátria, e ela vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis, e ela o que costuma.”

Padre António Vieira (Lisboa, 6/2/1608 – Bahia, 18/7/1697)
(“Paiaçu”)
Religioso, Prosador e pensador, orador do séc. XVII.

Maria Gabriela Llansol – Aventuras do Ser
Janeiro 27, 2014

Maria Gabriela Llansol by lusografias

“Tudo o que acontece nos meus livros são aventuras do ser”

(8 de Abril de 1979)

Maria Gabriela Llansol (Lisboa, 24/11/1931 – Sintra, 3/3/2008)
Contista, novelista, romancista, poetisa, autora de diários, tradutora, licenciada em Direito e Ciências Pedagógicas.

Luís Amaro – Viana
Janeiro 27, 2014

Luís Amaro by lusografias

Cidadezinha longínquia e sem remroso,
frente ao rio Lima, à noite, ouvindo música,
ah!, quanta paz insinua, momentanea,
no coração perdido de si mesmo…

Luís Amaro (Aljustrel, 1923)
Poeta, bibliógrafo e crítico literário, co-dirigiu a revista Árvore, e colaborou nas publicações: Seara Nova, Távola Redonda e Portucale.