Ana Mafalda Leite – As Vozes das Plantas

Ana Mafalda Leite

ao Gulamo Khan

neste lugar que não lembro a noite cresce silenciosa
em sua deslumbrada obscuridade, o dia esboça repouso
estremecimentos leves a pálpebra inteira a distância percorre
atenuada, ao fundo dos jardins se escutam as vozes vindas do
interior das plantas acesas na sua sombra em lugar tranquilo.
por vezes nela se guarda alguma palavra insuspeita, o olhar
demora no vazio nómada dos pequenos brilhos, movimentos
cintilados e doçura por entre a intuida convicção do desenho.
tremor da paisagem obscuro vento em seus domínios
pressentido a transportam até onde a voz arranca surpreendida
intraduzível som, templo guardado e tempo incerto
a luz resplandecendo e a noite se envolvendo em lua
por dentro, em cristal e em silêncio

 

Ana Mafalda Leite (Lisboa, década de cinquenta)
Poetisa luso-moçambicana, ensaísta, tradutora, investigadora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, professora catedrática – brilhante, posso afirmar!

 

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: