Archive for Novembro, 2015

Ary dos Santos – A Poesia
Novembro 29, 2015

Ary dos Santos

” A poesia é uma arma.”

José Carlos Ary dos Santos (Lisboa, 7/12/1937 – Lisboa, 18/1/1984)
Poeta, declamador, autor de poemas para canções, animador político, profissional de publicidade.

Anúncios

Maria Teresa Horta – A Luta pela Liberdade
Novembro 29, 2015

Maria Teresa Horta

“Utilizar a beleza e a criatividade enquanto elemento de combate, pode ser um modo muito especial, e extremamente eficaz, de luta pela liberdade.”

In JL, 6 a 9 de fevereiro de 2013

Maria Teresa Horta (Lisboa, 20/5/1937)
Poetisa, colaboradora de diversos jornais e revistas, pertenceu ao grupo Poesia 61 e aos movimentos cineclubista e feminista.

 

Ricardo Adolfo Visto por António Lobo Antunes
Novembro 29, 2015

António Lobo Antunes

“Escolhi o nome de Ricardo Adolfo como poderia ter escolhido outros – esta geração, que é mal entendida pela crítica de jornal, é bastante melhor do que a minha.

Li os seus livros principais. Mizé – Antes Galdéria do que Normal e Remediada parece-me ter grandes qualidades. Ricardo Adolfo tem uma voz original e pessoal, uma capacidade de diálogo fora do vulgar, uma capacidade de criar ambientes, de recriar o subúrbio de Lisboa, uma maneira de falar completamente nova, na Literatura Portuguesa. Depois, publicou Maria dos Canos Serrados, que marca um grande avanço em relação ao romance anterior e que, se fosse trabalhado, poderia ser um grande livro.”

In Visão, 09-04-2013

António Lobo Antunes (Lisboa, 1/9/1942)
Romancista e cronista, distinguido com o Prémio Camões em 2007, médico especializado em Psiquiatria.

 

Ricardo Adolfo – Escrever um Livro
Novembro 29, 2015

Ricardo Adolfo

“A publicidade deu-me a destreza e disciplina  necessárias , porque escrever é um trabalho como outro qualquer. Na publicidade, criamos pequenas ficções  resolver problemas.

Escrever um livro é criar um problema  e inventar uma ficção para resolver.”

In JL, 6 a 19 de fevereiro de 2013

Ricardo Adolfo (Luanda, 1974)

Romancista, contista, publicitário.

 

 

 

António Ramos Rosa – Noção de Eternidade
Novembro 29, 2015

António Ramos Rosa

Vivi tanto

que já não tenho outra noção

de eternidade

que não seja a duração da minha vida

ROSA, António Ramos, Em Torno do Imponderável

António Ramos Rosa (Faro, 17/10/1924 – Lisboa, 23/09/2013)
Poeta, crítico literário, ensaísta, tradutor e desenhador.
Marido da poetisa Agripina Costa Marques.

Antonieta Preto – A Paciência
Novembro 28, 2015

Antonieta Preto

(…) quero dizer-te que a noite já é velha para mim,  e

por isso te falo com a mesma paciência que é esperar

o desabrochar de um jardim ou a colheita de um pão.

Antonieta Preto (Baixo Alentejo, 1968)
Jornalista e poetisa.

António Alçada Baptista – A Grande Criatividade
Novembro 28, 2015

António Alçada Baptista

“Acho que a grande criatividade é aquela que soubermos pôr nos nossos atos: fazer da nossa vida uma obra de arte: pôr na nossa vida a nossa individualidade mais identificada e com um verdadeiro sentido estético na relação com os outros e com o mundo, é a nossa grande criação.”

BAPTISTA, António Alçada,  O Riso de Deus

António Alçada Baptista (Covilhã, 29/1/1927 – Lisboa, 7/12/2008)
Romancista,ensaísta e cronista, advogado, desenvolveu actividades ligadas ao jornalismo e à edição.

LÍdia Jorge – Um Dia Claro
Novembro 18, 2015

Lídia Jorge

“Algarve, Verão, anos 70

Um Dia Claro

É costume dizer-se que as belas férias não existem, recordam-se. Grande falsidade. As minhas aqui estão onde devem ser – desbotadas, magníficas, prontas para entrarem na eternidade, agarradas ao final dos anos setenta.

O local já não sei precisar. Tanto poderá ter acontecido na Praia de Santa Eulália, como na Balaia, Olhos-de-Água ou Falésia, de tal forma os espaços se transformaram. E os hábitos também. O mundo de então era mesmo diferente.

Ou muito me engano ou nessa altura as férias ainda se passavam todas elas no mesmo lugar. A ideia de nos metermos em aviões que voassem para destinos exóticos ainda não se tinha tornado uma meta na vida do cidadão comum. Os hotéis ainda eram escassos e o conceito de resort estava longe de ser uma peça do nosso vocabulário.

E a prova de que o ensaio da liberdade individual continuava a ser um espaço da tribo é que pela manhã abancávamos na praia como quem vinha invadir um território selvagem, e como tal nos comportávamos. No entanto, o que mais me toca, a esta distância cuja estranheza por vezes incita ao humor, era a largueza que se dava às crianças. (…)”

(continua)

In ÚNICA, Expresso, 21 Julho 2007

Lídia Jorge (Boliqueime, Algarve, 18 de Junho de 1946)
Romancista, autora de antologias poéticas e de uma peça de teatro, colaboradora de diversas revistas e jornais, professora, licenciada em Filologia Românica.

Inês Pedrosa – Ser Lisboeta
Novembro 18, 2015

Inês Pedrosa

“SOU LISBOETA por escolha, desde há muitos anos, o que significa que tenho mais amor a Lisboa do que à terra onde nasci: nenhum laço maternal me prende a este lugar, apaixonei-me pela cidade e decidi viver dentro dela. (…)”

In ÚNICA, Expresso, 21 Julho 2007

Inês Pedrosa (Coimbra, 15/8/1962)
Jornalista, contista, cronista, romancista, tradutora, licenciada em Ciências das Comunicação.

José Saramago – O Casamento do Nobel da Literatura
Novembro 18, 2015

José Saramago

“Saramago casou-se

Passados 20 anos sobre a cerimónia decorrida em Lisboa, na casa de José Saramago, o Nobel da Literatura e Pilar del Rio voltaram a dizer o sim, num casamento civil, em Castril, Granada.

A boda foi discreta e íntima, contando apenas com um pequeno grupo de amigos e familiares.

O casal, que se juntou em 1986, nunca chegou a registar a primeira cerimónia em Espanha, onde ambos residem.

Foi esse esquecimento que lhes permitiu voltar a celebrar a união, quando Saramago conta 84 anos.

Realizada pelo Presidente da Câmara de Castril, contou com o emotivo discurso de uma amiga de Pilar, que lembrou:

“Quando se encontraram sem procurar-se nas páginas de um livro – “Memorial do Convento” -, ela untou de saliva o seu dedo e, ao passar a última página, apagou o ponto final.”

In ÚNICA, Expresso, 21 Julho 2007

José Saramago (Azinhaga, Golegã, 16/11/1922 – Lanzarote, 18/06/2010)
Romancista, contista, poeta, dramaturgo, argumentista, jornalista, galardoado com o Prémio Camões em 1995 e com Prémio Nobel de 1998.