Sophia de Mello Breyner Andresen – A Minha Vida

Sophia de Mello Breyner Andresen

A minha vida está vivida

Já minha morte prepara

seu pó de beladona

Viajarei ainda para me despedir das imagens

Antes de despir a túnica do visível

 

Em vão me engano

Verdadeiramente sou quem fui

Atravessando quartos forrados de espelhos

ardentes

E diluída no fulgor da Primavera antiga

 

Se ainda busco o promontório de Sunion

É porque nele vejo a minha face despida

O mitológico mundo interior e exterior

Da minha própria unidade perseguida

 

Mas como despedir-me deste sal

Deste vento inventor de degraus e colunas

Como despedir-me das pedras deste mar

E deste denso amor inteiro e sem costuras

 

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, Obra Poética

Sophia de Mello Breyner Andresen (Porto, 06/11/1919 – Lisboa, 02/07/2004)
Poetisa, contista, autora de literatura infantil e tradutora, a 1.ª mulher portuguesa a receber o prémio Camões (1999)

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: