Antunes da Silva – Os Beijos do Sol Alentejano

Antunes da Silva

” Era verdade que a planície morria de sedentos anos de torrina. Desde o alvor da manhã à boquinha da noite, nem um susto de aragem, mesmo morna que fosse, rebentava no Alentejo. (…)

Mas também era verdade que o deserto de pão se estendia ao comprido pelo mundo alentejano e amadurecia com beijos brutais de um sol mordaz, incitado das passividade revoltas  no extremo da raiz.

Os homens já tinham armado a alma às brasas do clima (…) ”

SILVA, Antunes da, Suão 

Antunes da Silva (Évora, 31/7/1921 – 1997)
Poeta, contista, cronista, participou em várias publicações, escreveu dois diários.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: