David Pinto Correia – À Memória de Jacinto do Prado Coelho

David Pinto Correia

 

Hoje desisto. Tua mansa paragem

neste círculo de névoa

que me prende às portas da tarde

sossega meu pesadelo

de homem já cansado e poluído.

 

Não divago para ti o que fomos

Junto da rubra ameixoeira.

As palavras são o vazio do teu olhar

quebrado doce esvoaçar

de grito ou lamento

neste estilhaçar de recusas pelo meu peito.

 

Desisto. Nem tentes se quer invadir

Este meu vínculo de águas que roubei

Às tuas preces.

Hoje a ilha e as marés sossegam

Nossos braços corroídos nossos olhares

Vazios.

 

CORREIA, David Pinto, Este Branco Silêncio

 

David Pinto Correia (Funchal, 1939)
Professor catedrático na FLUL, doutorado em Literatura Portuguesa, autor de várias obras, dirigente de diversas publicações e colectâneas, detentor de cargos na cultura portuguesa – um professor para recordar pela vida fora.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: