Maria da Saudade Cortesão Mendes – Na Jarra

Maria da Saudade Cortesão Mendes

Na jarra opalescente havia sempre rosas

e sob o lustre, agora e então envolto em

gaze

as cordas do piano ainda vibram, caladas.

Para além da varanda entre os choupos

se via

o campo do Mondego onde era sempre

verão.

Assim talvez fictícia a infância.

Mas recordo sim no peitoral das janelas

um zumbir das abelhas em torno às

tigelas

de marmelada a secar e os tachos de

cobre

ainda sujos e quentes na cozinha antiga.

Do sótão viam-se num telhado abaixo

as gramíneas, filhas do vento, a germinar.

 

MENDES, Maria da Soledade Cortesão, O Desdobrar da Sombra

 

Maria da Saudade Cortesão Mendes (Porto, 1938 – Lisboa, 25/11/2010)
Poetisa e tradutora, filha de Jaime Cortesão e viúva de Murilo Mendes.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: