A Voz de Sophia de Mello Breyner

Sophia de Mello Breyner Andresen

A voz de Sophia sobre Camões e Antero:

” Camões parecia-me um palácio de vidro, transparente, luminoso, atravessado por uma luz doirada. Em Antero a luz era diferente, uma luz atormentada, cheia de clarões e de sombras.”

Sobre a sua infância e a Nau Catrineta:

” Na minha infância, antes de saber ler, ouvi recitar e aprendi de cor um antigo poema tradicional português chamado Nau Catrineta

Sobre a sua poesia:

” Sempre a poesia foi para mim uma perseguição do real. Um poema foi sempre um círculo traçado à roda duma coisa, um círculo onde o pássaro do real foi preso.”

In JL, 15 – 28 Julho 2009

Sophia de Mello Breyner Andresen (Porto, 06/11/1919 – Lisboa, 02/07/2004)
Poetisa, contista, autora de literatura infantil e tradutora, a 1.ª mulher portuguesa a receber o prémio Camões (1999)

Anúncios

2 Respostas

  1. A nau Catrineta…comum a algumas gerações..Eu tal como a Sophia aprendi a recitá-la, antes de saber ler ou escrever Ainda hoje a sei…”Lá vai a Nau Catrineta que tem muito que contar….”

    • Olá!
      Aceite as minhas felicitações pelo privilégio, cujo desempenho, se me permite, designo por: “Coisas da Luz”! Preserve! Recite! Partilhe como fez neste contexto, o que muito lhe agradeço.
      Muito obrigada também pelas suas motivadoras visitas ao blogue, bem como o apreço que vai demonstrando, não obstante a irregularidade das publicações que, por serem apressadas, perdem qualidade, mas… cá estamos!
      Bom fim de semana!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: