Luís Amorim de Sousa – O Velho no Parque

Luís Amorim de Sousa

é por inconformismo
que venho aqui sentar-me
neste parque mais velho do que eu
há um raio de sol que me conhece
e vem lamber-me as mãos quando
me vê

de resto não suporto este verde molhado
este romper de brancos e amarelos

sei de memória as vozes quotidianas
e atento aguardo a noite
que as sossega

a minha noite
pássaro sem asas
onde abrigar a célere cabeça

os meus navios afundei-os todos
ante um luar puríssimo humilhado

ó meu país
ó mapa desdobrado sobre a areia
não sei porque te invoco ó sepultura
aberta e saqueada

existes só no espaço em que te habito
aqui
numa praia distante entre as rochas e conchas
que me ferem os pés e me fazem sofrer

invoco-te e és real medonho e
impossível

ó flâmula hasteada
ó marinheiro triste nos porões

Luís Amorim de Sousa (Nova Lisboa, Angola, 1937)
Poeta e cronista, foi locutor, produtor e diretor da Secção Portuguesa na BBC, e Conselheiro de Imprensa na Embaixada de Portugal em Washington.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: