Jorge de Sena – Mécia

Jorge de Sena

 

Mécia:

Não é já de Natal esta poesia.

E, se a teus pés deponho algo

que encerra

e não algo que cria,

é porque em ti confio: como

a terra,

por sobre ti os anos passarão,

a mesma serás sempre, e o

coração,

como esse interior da terra

nunca visto,

a primavera eterna de que

existo,

o reflorir de sempre, o dia a

dia,

o novo tempo e os outros que

hão de vir.

(1947)

 

Jorge de Sena (Lisboa, 2/11/1919 – St.ª Bárbara, Califórnia, 4/6/78)
Poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta, crítico, tradutor, professor catedrático, licenciado em Engenharia Civil e doutorado em Letras.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: