João José Cochofel – Poemeto para o Poema “Sol de Agosto” – VI

João José Cochofel

Rapariga delicada,
tôda em vôos e perfumes:
em ti é a tarde que afago
e o sol dos olhos e dos cabelos.
– Dá-me as tuas mãos:
entre nós, nem ciúmes
nem mêdos.

O dia, hoje,
teceu grinaldas para os nossos dedos.

In Cadernos de Poesia

João José de Melo Cochofel Aires de Campos (Coimbra, 17/07/1919 – Lisboa, 14/03/1982)
Poeta, ensaísta, crítico literário e musical, colaborador em várias revistas: Altitude, Cadernos do Meio-Dia, Vértice, Presença, Seara Nova, integrou a geração neo-realista coimbrã e a organização do Novo Cancioneiro (1941), foi diretor da Academia dos Amadores de Música de Lisboa e da Sociedade Portuguesa de Escritores.
Organizou e dirigiu o Grande Dicionário da Literatura Portuguesa e de Teoria Literária, desde o início da sua publicação, em 1971.
Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas.

Advertisements

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: