Ernesto M. Melo e Castro – Inquietação

Ernesto M. Melo e Castro

Como por uma fenda no tempo
diviso as sombras do que vem depois
e tenho medo de dizer que entendo
o que está escrito para lá de agora

E tenho medo como uma criança
que nem do que é agora sabe nada
por isso me assusta esta esperança
de ver romper a madrugada.

Navegantes dos céus e das estrelas
dizei-me, ao menos uma vez,
não mais as canções belas,
mas apenas se o que será
é tão como o que vejo
pela fenda no espaço
pela fenda no desejo…

(1950, publicado em 1983)

 

Ernesto M. Melo e Castro (Covilhã, 1932)
Poeta, crítico, ensaísta, professor universitário.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: