Antónia Vilar – Mulher

Nasci numa noite de luar,

Nasci mulher.

 

Trago no colo o cheiro da planície

E o vício da terra lavrada,

Perfumada.

E em cada poente mais ardente

O desejo cresce no meu ventre

 

De cabelos cor de fogo

E olhos da cor do rio,

Sorrio.

E aperto o peito quando a dor

atormenta

a palavra contida.

 

Sentida.

a vida está nos nossos braços

Para além da canção de embalar.

Amar. Amar.

 

In Nova Antologia de Poetas Alentejanos

 

Antónia de Jesus Vilar Baião (Safara, 1954)
Poetisa, licenciada em Sociologia.

Advertisements

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: