Adolfo Portela – A Procissão

Nas ruas da nossa aldeia
Vai passando a procissão:
Tamborileiros à frente,
E logo atrás o pendão.

Mordomos da confraria
Levam os anjos p´la mão;
Muito grave, o juiz da festa
Dá ordens ao sacristão.

Há colchas pelas varandas,
Alfazema pelo chão.
Lá vêm agora os andores,
Ricos andores que são!

O pálio é todo de seda;
Mete latim e sermão.
Parabéns, senhor Vigário,
A Festa faz um vistão.

 

Adolfo Rodrigues da Costa Portela (Águeda, 16/08/1866 – Fundão, 17/11/ 1923)
Poeta, contista, dramaturgo, ensaísta, crítico literário, tradutor, jornalista, músico, compositor, advogado, tesoureiro e administrador de concelhos.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: