Vasco Pereira Costa – Pausa

Ao fundo a ilha de São Jorge azul e ausente.
Bastou uma pouca de chuva para que tudo
ficasse verde e frio de repente.

Sei dos meus negócios com o mundo…
Mas agora deixem que arrede a cortina,
que meus olhos se pintem de verdazul
e que goste o licor de tangerina.

COSTA, Vasco Pereira da,  O Fogo Oculto

Vasco Pereira da Costa (Angra do Heroísmo, 1948)
Contista, novelista, romancista, poeta, galardoado com o 1.º Prémio Miguel Torga, 1984, professor, pintor com o pseudónimo Manuel Policarpo.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: