Literatura Africana de Expressão Portuguesa – José da Silva Maia Ferreira – Porque Podes Duvidar?

Ingrata porque motivo
Cruel pode duvidar
Desse fogo lento e vivo

que é hoje o meu penar!
Foste tu que mo acendeste
Que desses olhos quiseste
Que eu bebesse o teu fitar! –

Qual mimosa a casta flor
Desfolhada pelo vento –
Assim me roubaste o amor –
Que é hoje o meu tormento.
Neste martírio de dor
Indas queres com rigor
Escaldar meu pensamento!

Queres provas de que te amo?
Desprende dos lábios teus
Um desejo que me inflama
Mostrar nele os votos meus!
Exiges de mim a morte?
Em tuas mãos a minha sorte
Entreguei perante os Céus!

Dize, fala, manda, ordena
Com a tua casta isenção
Aos tormentos me condena
Que nunca direi que não. –
Quer vivendo leda vida
Quer em sorte desabrida
Será teu meu coração!

 

José da Silva Maia Ferreira (Luanda, 7/6/1827 – Rio de Janeiro, 1881)
Poeta, colaborador no <em>Almanach de Lembranças</em>, Lisboa, 1879, foi estudante emLisboa, amanuense na Secretaria do Governo Geral de Angola, tesoureiro da Alfândega eoficial de Secretaria do Governo de Benguela.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: