António Feijó – Rondó

(A uma Desconhecida)

 

As tuas cartas vêm tocadas

duma ideal melancolia

não sei quem és, e todavia

beijo essas letras desmaiadas.

Como as violetas perfumadas

que a sombra esconde à luz do dia,

as tuas cartas vêm tocadas

duma ideal melancolia.

Nas minhas horas tresloucadas,

horas de febre e de agonia,

como esperança fugidia,

de mil quimeras iriadas,

as tuas cartas vêm tocadas…

 

António Feijó (Ponte de Lima, 1/6/1859 – Estocolmo, 20/6/1917)
Poeta e diplomata, fundador da Revista Científica e Literária com Luís de Magalhães – 1880, Coimbra -, colaborador nas revistas: Arte, A Ilustração Portuguesa, O Instituto, Novidades, Museu Ilustrado, licenciado em Direito.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: