Archive for the ‘Sinais da Língua’ Category

Grupos Naturais – Dar Ares de / Dar Arrelias / Dar as Boas Festas (ou as boas-noites, as boas-vindas) / Dar as Cartas / Dar às Gâmbias / Dar as Horas / Dar as Mãos 
Abril 23, 2017

 

Grupos Naturais – combinação de grupos a dois, associados naturalmente, frequentemente verbo-substantivo, constituindo expressões vulgarizadas pelo uso.

Apresentação de alguns exemplos:

Dar ares de – parecer-se um pouco.

Ex.: O Filipe uns ares do irmão.

 

Dar arrelias – aborrecer.

Ex.: O Mauro muitas arrelias à mãe.

Dar as Boas Festas (ou as boas-noites, as boas-vindas) – saudar.

Ex.: Não lhe escreves a dar as Boas Festas?

Antes de te deitares, dá as boas-noites ao avô.

Quando o vir, vou dar-lhe as boas-vindas.

 

Dar as cartas – pôr e dispor; distribuir cartas pelos jogadores.

Ex.: Nas reuniões, quem dá as cartas é a Júlia.

Agora és tu a dar as cartas.

 

Dar às gâmbias – dançar.

 Ex.: O João deu às gâmbias no baile da Paróquia.

 

Dar as horas – dar as badaladas.

 Ex.: O relógio da torre dá as horas adiantadas.

Dar as mãos – unir-se, juntar esforços; apertar as mãos.

  Ex.: Os verdadeiros amigos dão as mãos nas horas difíceis

          As amigas deram as mãos e abraçaram-se.

(continua)

Ana Goês – Jogos com a Língua Portuguesa (continuação)
Abril 2, 2017

Pares de “frases homófonas”…

 

“É concisa, geralmente.
É com sisa, geralmente.”

 

“É um dia positivo
É um diapositivo.

 

“Coloque-os uns atrás dos outros!
Colóquios uns atrás dos outros…

 

“Excelso, genial, sublime!
Eis, CELSO, genial, sublime!

 

“É do dentista brasileiro…
EDU, dentista brasileiro…

 

“E lias muito bem…
ELIAS, muito bem!

 

“Eu, génio não sou, mas…
EUGÉNIO não sou, mas…

 

“Roubar não faz enriquecer um homem.
Roubar não faz HENRIQUE ser um homem.

 

“Violino a tocar…
Vi o LINO a tocar!

 

“Lúcia-lima, por favor!
LÚCIA, lima, por favor!

 

“Estou a pensar na taxa…
Estou a pensar, NATACHA!

 

“Ó tília, pões-me tão calmo!
OTÍLIA, pões-me tão calmo!

 

“Filipe e Rita, como sempre!
Filipe e RITA, como sempre!

 

“Só lingerie...
SOLANGE ri…

 

“Graça, morais ali?
GRAÇA MORAIS, ali…?

 

“Vem aí o lobo, Antunes!
Vem aí o LOBO ANTUNES!

 

GOÊS, Ana, Aliás Voltas Sempre / Ali às Voltas Sempre

 

Ana Goês (Carnaxide, 1936)
Poetisa e prosadora.

Grupos Naturais – Dar ao Rabo / Dar aos Calcanhares (ou Às de Vila-Diogo) / Dar a Palavra / Dar à Perna (ou Às Gâmbias) / Dar Apoio a / Dar a Posse / Dar a Preferência
Março 21, 2017

Grupos Naturais – combinação de grupos a dois, associados naturalmente, frequentemente verbo-substantivo, constituindo expressões vulgarizadas pelo uso.

Apresentação de alguns exemplos:

 

Dar ao rabo – agitar, abanar a cauda.

Ex.: Quando a Rosca vê a Joana começa logo a dar ao   rabo.

 

Dar aos calcanhares (ou às de vila-diogo) – fugir.

Ex.: Quando ouviu o cão, o ladrão deu aos calcanhares.

Ao fazer barulho, o Mário deu às de vila-diogo.

 

Dar a palavra – permitir que alguém fale; (honra) empenhar a palavra, garantir.

Ex.: Na sessão, o chefe de turno pediu a palavra.

          O Sr. Pardal concluiu a defesa do operário, dando a palavra de honra.

 

Dar à perna (ou às gâmbias) – dançar.

Ex.: A Quicas deu à perna toda a noite.

O Gabriel dá às gâmbias até de madrugada.

 

Dar apetite – produzir, despertar o apetite.

Ex.: O cheiro do grelhado deu-lhe apetite.

 

Dar apoio a – ajudar.

Ex.: A Fany dá apoio aos timorenses.

 

Dar a posse – entregar oficialmente os poderes a alguém.

Ex.: O presidente deu a posse do cargo ao novo director.

 

Dar a preferência – escolher.

Ex.: O júri do concurso deu a preferência aos candidatos com experiência naquela área.

 (continua)

Grupos Naturais – Dar ao Badalo / Dar ao Dedo / Dar ao Dente (ou ao Queixo) / Dar ao Demo / Dar ao Gatilho / Dar ao Inventário / Dar ao Manifesto
Março 13, 2017

Grupos Naturais – combinação de grupos a dois, associados naturalmente, frequentemente verbo-substantivo, constituindo expressões vulgarizadas pelo uso.

Apresentação de alguns exemplos:

 

Dar ao badalo – falar.

Ex.: Tudo isto aconteceu, porque ele deu ao badalo.

 

Dar ao dedo – trabalhar: costurar, fazer malha, etc.

Ex.: A Ana levou a tarde a dar ao dedo.

 

Dar ao dente (ou ao queixo) – mastigar, comer.

Ex.: Durante a festa, a Rita não parou de dar ao dente.
O Zeca deu ao queixo a noite inteira.

 

Dar ao demo (diabo) – amaldiçoar, mandar par o inferno.

Ex.: Ela deu ao demo os mexericos das colegas.

 

Dar ao gatilho – disparar a arma.

Ex.: Em tempo de guerra, os soldados dão ao gatilho.

 

Dar ao inventário – fazer a descrição completa de…

Ex.: Após o falecimento do pai, ela teve de dar ao inventário todos os bens.

 

Dar ao manifesto – declarar pormenorizadamente.

Ex.: O contrabandista foi obrigado a dar ao manifesto toda a mercadoria que transportava.

(continua)

Dificuldades da Língua Portuguesa – A “Vez”, as “Vezes” e a Vírgula
Março 10, 2017

As locuções abaixo indicadas, porque, em regra, iniciam orações novas , devem ser precedidas por vírgula:

Uma vez quelocução conjuncional subordinada condicional.

Ex.: A minha tia disse que voltaria para Portugal, uma vez que estão reunidas as condições.

 

Cada vez (em) quelocução conjuncional subordinada temporal.

Ex.: O Júlio fica mal-disposto, cada vez que como cozido.

 

Todas as vezes (em) quelocução conjuncional subordinada temporal.

Ex.: Darei comida aos sem-abrigo, todas as vezes (em) que for à Baixa.

Ana Goês – Jogos com a Língua Portuguesa (continuação)
Março 7, 2017

Pares de “frases homófonas”…

 

“Oh, sim, a mulatinha!
Oh, sim, a mula tinha…

 

“Porque não gosta de aves, truz!, bateu-lhe!
Porque não gosta de avestruz, bateu-lhe!

 

“Com defeito, Barão?
Conde feito Barão?!

 

“Eduque como deve ser!
E Duque como deve ser…

 

“O passo da Rainha reconhecia-se ao longe.
O Paço da Rainha reconhecia-se ao longe.”

 

“Reinação!…
Rei! Nação!

 

“Se a mão dobra, não interessa…
Se a mão-de-obra não interessa…

 

“Se tenta, não se senta…
Setenta, não sessenta!…

 

“Semear em Janeiro é natural…
Se miar em Janeiro é natural…

 

“Sementes, nem penses nisso!
Se mentes, nem penses nisso!

 

GOÊS, Ana, Aliás Voltas Sempre / Ali às Voltas Sempre

(continua)

 

Ana Goês, Carnaxide, 1936
Poetisa e prosadora.

Grupos Naturais – Dar Alívio / Dar a Lume / Dar à Luz / Dar a Mão / Dar a Morte / Dar Andamento (a) / Dar Ânimo
Fevereiro 28, 2017

As Vogais

Grupos Naturais – combinação de grupos a dois, associados naturalmente, frequentemente verbo-substantivo, constituindo expressões vulgarizadas pelo uso.

Apresentação de alguns exemplos:

 

Dar alívio – atenuar a dor.

Ex.: O medicamento está a dar-lhe alívio.

 

Dar a lume – publicar.

Ex.: Hoje dá a lume o décimo do livro do DC.

 

Dar à luz – parir.

Ex.: A Joana dá à luz em Agosto.

 

Dar a mão – ajudar; consentir no casamento.

Ex.: Nos momentos difíceis, o irmão deu-lhe sempre a mão.

O Sr. Silva deu a mão da filha ao Sr. Barão.

 

Dar a morte – matar.

Ex.: O acidente deu a morte ao jovem poeta.

 

Dar andamento (a) – despachar.

Ex.: A repartição está a dar andamento ao seu pedido.

 

Dar ânimo – encorajar.

Ex.: As suas palavras deram ânimo à jovem estudante.

(continua)

Onomatopeias – Nova Versão, Outros Ruídos – Ramagem / Relógio / Sino / Tambor / Tecido / Trovão / Vento / Vinho
Fevereiro 15, 2017

As Vogais

Onomatopeias são as palavras que imitam as vozes de pessoas ou animais, e os ruídos da natureza e de objectos.

A atual publicação terá uma nova apresentação relativamente às anteriores:

1.Vozes de Animais – concluída!

2. Outros Ruídos ou Sons da Natureza e de Objetos

Ramagem ————————- rumorejar

Relógio —————————- tiquetaque

Sino ——————————– badalar; tão-balalão

Tambor ————————— rataplã

Tecido —————————– frufru

Trovão —————————- ribombar

Vento —————————– ulular

Vinho —————————- gorgolejar.

Fim

Grupos Naturais – Dar a Escolher / Dar à Estampa / Dar a Fazer / Dar Agasalho / Dar a Hora / Dar a Impressão / Dar Ajuda / Dar Alegria / Dar à Língua
Fevereiro 9, 2017

As Vogais

Grupos Naturais – combinação de grupos a dois, associados naturalmente, frequentemente verbo-substantivo, constituindo expressões vulgarizadas pelo uso.

Apresentação de alguns exemplos:

 

Dar a escolher – possibilitar uma opção.

Ex.: No final do curso, o irmão deu-lhe a escolher entre uma viagem e um automóvel.

 

Dar à estampa – ser publicado.

Ex.: O nosso dicionário dará à estampa em Setembro.

 

Dar a fazer – confiar tarefas.

Ex.: A mãe vai dar a roupa a fazer.

 

Dar agasalho – aquecer bem.

  Ex.: Este fato um bom agasalho.

 

Dar a hora – soar a hora.

 Ex.: Já tinha dado a hora quando a prova começou.

 

Dar a impressão – fazer supor.

Ex.: Dá a impressão que eles já se conheciam.

 

Dar ajuda – prestar auxílio.

Ex.: A Helena dá ajuda a qualquer colega.

 

Dar alegria – proporcionar satisfação.

Ex.: -me alegria saber que já estás bem de saúde.

 

Dar à língua – tagarelar, conversar; denunciar.

Ex.: Aquelas amigas não se cansem de dar à língua.

O plano não resultou, porque alguém deu à língua.

(continua)

 

Dificuldades da Língua Portuguesa – Cumprir com ou Cumprir o/a / um(a)?
Fevereiro 9, 2017

As Vogais

O verbo cumprir é frequentemente utilizado regido da preposição com – “cumprir com” -, e também consta nestes moldes nalguns dicionários, contudo estamos na presença de um verbo transitivo direto, pelo que  devemos optar pelo emprego do verbo como abaixo se exemplifica:

cumprir a pena;

cumprir o  dever;

cumprir os objetivos;

cumprir o prazo;

cumprir uma meta.